sexta, 03 maio 2013 10:15

Vagueando pelos passeios da cidade da Horta: roteiro de frisos

Escrito por  Ricardo Teixeira

Vamos dar continuidade à nossa demanda pelas ruas da cidade da Horta, com o objetivo de classificar, quanto ao grupo de simetria, os padrões geométricos que formos encontrando. 

No roteiro de rosáceas, apresentado no último artigo, apenas nos preocupámos em classificar figuras com simetria de rotação e/ou simetria de reflexão em reta. Neste artigo, vamos estudar as figuras que têm simetria de translação numa só direção, podendo ter ou não outros tipos de simetria. Essas figuras chamam-se frisos. O poder de síntese da Matemática volta aqui a estar em destaque, uma vez que se pode provar que existem apenas sete maneiras diferentes de repetir um determinado motivo ao longo de uma faixa, recorrendo aos quatro tipos de simetria (simetria de translação, simetria de rotação, simetria de reflexão em reta e simetria de reflexão deslizante). 

Prova-se também que, a existir simetria de rotação, a sua amplitude terá de ser 180graus: a chamada meia-volta. A razão é simples. Como o motivo se repete ao longo de uma faixa, segundo uma única direção, a aplicação de uma rotação com amplitude diferente de 180 graus teria como consequência deslocar o motivo numa direção diferente da pretendida, ou seja, para fora da faixa. Outra questão a ter em conta quando se classifica um friso tem a ver com a posição do mesmo. Para evitar confusões, é preferível estudá-lo “na horizontal”, ou seja, devemos considerar que o motivo se repete segundo uma faixa paralela ao chão. Desta forma, podemos falar, sem ambiguidade, em reflexões horizontais (quando o eixo de simetria tem a mesma direção da faixa) e em reflexões verticais (quando o eixo de simetria é perpendicular à faixa). 

Posto isto, apresenta-se o fluxograma que permite classificar os frisos quanto ao seu grupo de simetria. Utiliza-se a notação de Fejes Tóth, por ser fácil de memorizar. Os sete grupos de simetria são representados pela letra F. Quando há meia-volta coloca-se 2 em índice, caso contrário coloca-se 1. Em expoente, coloca-se 1 (quando há reflexão horizontal), 2 (quando há reflexão vertical) ou 3 (quando há reflexão deslizante). A ausência de um expoente indica que não existem simetrias de reflexão em reta, nem de reflexão deslizante. 

OS SETE GRUPOS DE FRISOS:

Apresento ao leitor um roteiro de frisos, que o desafia a percorrer as ruas da cidade da Horta com um novo olhar. O fluxograma será uma boa ajuda na classificação dos grupos de simetria. Quando chegar a casa, não o largue. Procure antes mais exemplos de frisos em toalhas, rendas, tapetes e azulejos e utilize-o para os classificar. Alerto apenas para o perigo de poder ficar viciado em frisos!

Como vimos, os frisos apresentam simetria de translação numa única direção. Existem também figuras com simetria de translação em mais de uma direção, o que tem como consequência a pavimentação de todo o plano. Prova-se que existem apenas 17 maneiras diferentes de produzir padrões com estes requisitos. Para um maior aprofundamento deste tema, o leitor poderá consultar o livro Simetria e Transformações Geométricas, de Eduardo Veloso (2012), a brochura Geometria e Medida no Ensino Básico, de Ana Breda et al. (2011), ou o site da Associação Atractor, www.atractor.pt. 

Em próximas edições do Tribuna das Ilhas, pretende-se disponibilizar aos leitores o roteiro de frisos apresentado neste artigo, bem como o roteiro de rosáceas do artigo publicado na edição do passado dia 19 de abril, ambos em formato de folheto.

ROTEIRO 

Departamento de Matemática da Universidade dos Açores,

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 
Ler 1547 vezes
Classifique este item
(1 Vote)

  “Quando tornar a vir a Primavera Talvez já não me encontre no mundo.”    Fernando Pessoa Na tarde de 21 de Agosto último, na minha viagem de regresso de férias a bordo do “Santorini”, atendo o telemóvel e a notícia chega-me da forma mais cruel e brutal: o Sérgio Luís sucumbira ao cancro do pulmão que desde o ano passado o tomara de assalto. O seu desaparecimento físico representa, para quem com ele privou de perto, um profundo rombo no casco deste navio em que fazemos a viagem da vida. Mantive com o Sérgio Luís...
A discussão na Assembleia da República, sobre a comparticipação do Go-verno para cobrir despesas relacionadas com as intempéries, gerou uma série de críticas ao modo como o Parlamento agendava as propostas provenientes dos Açores. Os deputados açorianos do Partido Socialista chamaram a atenção para o facto, pois não se justificava que um diploma andasse esquecido mais de um ano na gaveta. O debate em Plenário acabou por realizar-se porque foi usada pela ALRA a prerrogativa que lhe assiste de utilizar o agendamento potestativo,...
1. Já em crónica anterior aqui me referi ao “imbróglio” escusado em que se transformou o novo diploma do concurso dos professores. Mas os desenvolvimentos recentes que ocorreram, com a devolução, por parte do Representante da República, daquele decreto legislativo regional à Assembleia, levam-me agora a tecer novas considerações. 2. Desde logo sugiro aos interessados a leitura do texto do “veto” do Representante da República para terem a noção plena e completa do que aqui digo. Ele está disponível no seguinte link -...
Numa economia aberta e globalizada, como a que vivemos atualmente, a capacidade de concorrer, ser competitivo, determina a distância entre os que vencem, crescem e se desenvolvem e os que não conseguindo competir, são vencidos, regridem e se atrasam. Na base da crise portuguesa radica esta falta de capacidade de competir em economia aberta, quer no espaço europeu onde nos integramos, quer na esfera mundial onde a globalização nos integra. Ao não sermos competitivos, devemos a falta de crescimento da última década, o termos...
O petiscar, habitualmente, está associado a um mau hábito: faz ganhar peso e nem sempre é feito com alimentos saudáveis! No entanto, tudo depende do que se petisca! Comer entre as refeições pode tornar-se, mesmo, num verdadeiro gesto saudável...   Petiscar não tem,  forçosamente, impacto sobre o peso Para manter a linha e estar de boa saúde é preciso deixar de comer entre as refeições? Não necessariamente! Vários estudos mostram, com efeito, que a frequência da ingestão alimentar não intervém no aumento de peso. Só a...
Nasceu na freguesia e Vila do Corvo em 12 de Setembro de 1914, filha de Rosa Vitória Thomaz e de Manuel Lourenço Avelar. Usava também o nome de Rosa Santa Avelar. Tinha como irmãos o António, a Maria a Vitória, a Elvira, a Vitória, o Carlos, o Luís e a Inês. Também usava o nome de Rosa Santa Avelar.   Terá passado pela Instrução Primária, na escola da sua freguesia natal, onde deverá ter concluído esse ensino. Quando tinha cerca de vinte anos, seguiu para Lisboa, onde aderiu a uma instituição religiosa da Igreja Católica....