sábado, 28 julho 2012 19:01

Novo molhe norte do Porto da Horta é “ponto de viragem” do transporte marítimo no Triângulo

Escrito por 

Foi inaugurada esta manhã a primeira fase da obra de requalificação e reordenamento da frente marítima da cidade da Horta, que compreendeu as intervenções a norte na baía. 

Num investimento de cerca de 40 milhões de euros, esta obra demorou três e quatro meses a ser executada e compreende um cais acostável de cerca de 280 metros de comprimento acostável, um cais interior com 80 metros de comprimento acostável e um novo terminal de passageiros, para além de um parque de estacionamento para cerca de 130 viaturas. 

Destaque para o facto do novo porto permitir a operação de mercadorias e viaturas através de rampas roll-on rol-off.

Na ocasião, o presidente do Governo Regional classificou este empreendimento como um “ponto de viragem” nas ligações marítimas do Triângulo. Referindo-se à Horta como a “capital do Mar nos Açores”, Carlos César disse esperar que esta obra traga “reflexos muito positivos e duráveis para a economia” da ilha bem como para o fortalecimento da oferta de terminais para o turismo de cruzeiros nos Açores, “sector que se estima em franca expansão”, com uma centena de navios a escalar anualmente a Região, movimentando cerca de 100 mil turistas.

O processo de modernização do transporte marítimo no Triângulo prosseguirá com a aquisição de dois novos navios, que se previa entrarem em funcionamento no final de 2013, data avançada aquando da assinatura do contrato de adjudicação da sua construção. Esta manhã, todavia, Carlos César apontou o ano de 2014 para a chegada dos navios.

O governante destacou a evolução do transporte marítimo no Triângulo, referindo que, há 16 anos, eram transportados 290 mil passageiros anualmente, número que hoje ultrapassa os 400 mil.

Também o transporte de mercadorias mereceu a atenção do presidente do Executivo, que salientou a importância da “diminuição dos custos dos fretes”. “Recentemente procedeu-se à reorganização dos itinerários marítimos da cabotagem nos Açores, o que, sem prejudicar a capacidade de escoamento dos volumes de contentores movimentados na Região, irá permitir uma movimentação mais célere de mercadorias entre o grupo central” e o continente.

Carlos César chamou a atenção para a necessidade de grandes investimentos na recuperação dos portos da Região, frequentemente fustigados por tempestades de mar, o que implicou, segundo o governante “centenas de milhões de euros” investidos “apenas para reconstruir o existente”.

Na cerimónia de inauguração do novo molhe norte do porto da Horta marcaram presença as filarmónicas Artista Faialense e Unânime Praiense, bem como o Grupo Folclórico e Etnográfico de Pedro Miguel. A secção de vela ligeira do Clube Naval da Horta foi a responsável por trazer colorido à baía.

A operação do transporte marítimo de passageiros é transferida para o novo porto já amanhã.

 

 
 
Ler 694 vezes
Classifique este item
(0 votos)